BlogGestão

Confiança no colaborador

[et_pb_section bb_built=”1″ _builder_version=”3.0.91″][et_pb_row _builder_version=”3.0.91″][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text _builder_version=”3.0.91″ background_layout=”light”]

Se hoje você ligar sua televisão, as notícias que circulam tanto na TV quanto nos jornais impressos, revistas e mídias sociais, estão todas relacionadas à corrupção, engano, desonestidade. Desde que nos conhecemos como seres- humanos, a desonestidade existe.

Por este motivo exercer ou estabelecer confiança em alguém é algo extremamente difícil atualmente.

Pessoas reclamam sobre quão difícil é se relacionar, namorar, noivar, casar, fazer amigos por que simplesmente não encontram pessoas nas quais possam confiar seus sentimentos e segredos.

Se isso acontece no âmbito pessoal, não diferentemente ocorre também na área profissional. Como é difícil confiar no colega de trabalho, nos colaboradores, principalmente confiar a alguém um cargo de gestão dentro das empresas.

É certo que não se pode, de forma indiscriminada confiar em todas as pessoas. Há que se ter um critério de seleção. Mas não confiar em ninguém, desenvolvendo um processo de generalização, torna o desenvolvimento da empresa dificultoso ou mesmo impossível.

O que podemos fazer é criar meios para as pessoas tornem-se mais confiáveis. Criar condições para que ser honesto seja mais vantajoso. Para isso, o consultor Samuel Paz sugere sete medidas que podem ser aplicadas nas empresa e que facilitam o desenvolvimento da confiança:

1 – Fator Memória

É comprovado que pessoas sujeitas ao alto nível estresse estão mais sujeitas a cometer deslizes ou ter desvios de conduta, cometendo atos indesejáveis que vão de fraudes, irregularidades à corrupção sistemática. Portanto, revisar as situações de estresse dos executivos ou dos funcionários será de grande valor na prevenção desses acontecimentos.

2 – Motivação

As empresas devem revisar periodicamente, o ambiente motivacional de seus funcionários, em todos os níveis, principalmente aqueles em cargos de confiança. A motivação incorreta vem sendo apontada como uma das grandes causas da baixa confiabilidade das pessoas.

3 – Aptidões Física e Mental

O primeiro passo desse item será aumentar o rigor no processo de recrutamento e seleção, visando adequar perfil e pessoa na melhor sintonia possível com a missão da empresa, o que aumentará a confiabilidade do funcionário.

4 – Informações Claras

Desenvolver normas, regras e procedimentos escritos de modo claro e de fácil compreensão, objetivando não deixar lacunas pelas quais as pessoas possam cometer os erros e falhas. Aqui, cabe promover revisão periódica dessas informações escritas, atualizando-as se necessário.

5 – Conhecimento

Dar conhecimento a todos os envolvidos, das normas, das regras e dos procedimentos internos escritos: “Do que fazer”; “Como fazer”; “Quando Fazer” e “Para que Fazer”, tornando assim ao conhecimento de todos, o real objetivo das atividades.

6 – Transparência

Promover a divulgação para quem de direito houver, de todas as informações relevantes das atividades internas, através de relatórios semanais, quinzenais, mensais, semestrais ou anuais. Assim procedendo, através da transparência dos atos e das ações praticadas por seus funcionários, minimizaremos as possibilidades de ocorrências de fraudes, desvios, erros, falhas e até atos de corrupção nas organizações. E por fim, praticando essas orientações aumentaremos a confiabilidade do ser humano.

 

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Verifique também

Fechar
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios