Blog

DOENÇAS DA MENTE

Os quatro transtornos mentais da vida contemporânea e como reconhecê-los

A evolução da tecnologia, a correria do dia a dia e o estresse em que a sociedade tem vivido, trazem consigo novos alertas em relação importância quanto a conscientização e o tratamento de doenças que podem acometer o bem-estar do ser humano. Segundo especialistas, o século XXI está recheado de doenças emocionais. Na história nunca se viveu um número tão grande de pessoas sofrendo com depressão, ansiedade e pânico. O número de casos de doenças da mente tem aumentado, pelo menos 20% da população sofre algum distúrbio mental em algum momento da vida. Mesmo assim os transtornos psicológicos ainda são julgados, procurar o tratamento adequado ainda pode ser desafiador.
A angústia, ansiedade, insegurança pelo futuro e medo da violência tem feito com que a população sofra de distúrbios diversos, predominantemente os transtornos emocionais. Além dos fatores relacionados ao mundo moderno, os transtornos psicológicos podem ser provocados por causas genéticas, problemas hormonais e bioquímicos, frustrações, decepções e perdas. Normalmente os transtornos psicológicos emitem alguns sinais como tristeza sem motivo aparente, raiva excessiva, alucinações. Os problemas psicológicos afetam diretamente o indivíduo e quem está a sua volta, ocasionando problemas no trabalho, nos estudos, na vida familiar e principalmente, na vida pessoal, além de causar problemas físicos. É comum que o sujeito acometido encontre dificuldade para identificar os sintomas. Por vezes estes sintomas são ignorados por familiares e amigos, sendo até classificados como “frescura”.
Entretanto, os distúrbios da mente são bastante graves. Se não tratados de forma consciente e séria podem gerar tanto malefícios quanto uma doença terminal, isso porque os transtornos desencadeiam uma série de comportamentos nocivos que podem ser prejudiciais não só ao corpo físico como principalmente a mente humana.
Nos casos das doenças citadas a seguir, o tratamento multidisciplinar é o mais adequado, uma vez que o sujeito precisa tomar a consciência de seus medos e angústias, voltar a apreciar o bom que existe nas pequenas coisas, cativar as amizades, buscar sair do isolamento que a vida moderna impõe, procurar manter hábitos saudáveis, sejam alimentares ou mesmo físicos, contando com o acompanhamento dos profissionais da área da saúde.

Conheça as quatro doenças em ascensão no contexto contemporâneo:

– Depressão: É um distúrbio afetivo que gera uma tristeza profunda, perda de interesse generalizado, falta de ânimo, ausência de prazer e oscilações de humor que podem acabar em pensamentos suicidas. Geralmente o indivíduo pode apresentar dois ou mais dos seguintes sintomas: Apatia, falta de motivação, medos que antes não existiam, dificuldade de concentração, perda ou aumento de apetite, alto grau de pessimismo, indecisão, insegurança, insônia, falta de vontade em fazer atividades antes prazerosas, sensação de vazio, irritabilidade, raciocínio mais lento, esquecimento e angústia. A depressão atinge mais de 300 milhões de pessoas de todas as idades no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, a estimativa é que 5,8% da população seja afetada pela doença.

– Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): É marcado pela repetição de determinadas ações ou pensamentos. Trata-se de um quadro marcado por pensamentos inconvenientes que invadem a cabeça sem aviso prévio. Eles são seguidos por um rito ou um comportamento repetido, que serve de escape para acalmar a mente, como verificar várias vezes se a porta está mesmo trancada ao sair de casa, deixar de tocar em maçanetas e lavar as mãos compulsivamente para não se contaminar, checar a escova de dente diversas vezes no banheiro para ter certeza de que não engoliu o objeto. É muito comum que indivíduos com TOC acreditem que, se deixarem de cumprir o ritual, algo terrível poderá acontecer. Esse comportamento tende a se agravar à medida em que a doença não é tratada ou diante de algum evento estressante ou traumático.

– Transtorno de Pânico: A crise acontece em decorrência de alguma situação traumática específica que o indivíduo tenha vivido, além de uma predisposição pessoal. Um episódio de maior estresse pode desenvolver transtornos específicos como pânico de elevador ou de sair de casa sozinho. O sujeito acometido pode apresentar sintomas como agitação, calor e sudorese, tudo isso acompanhado de um grave episódio de ansiedade. Transtorno de pânico é uma doença que afeta cerca de 1,6% da população mundial – para cada homem, duas mulheres sofrem com o quadro – o que impacta seriamente nas relações sociais e qualidade de vida.

– Transtorno de Ansiedade Generalizada: É caracterizada por uma preocupação ou apreensão excessiva, ou seja, são difíceis de controlar e duram no mínimo seis meses. Os sintomas podem ser psicológicos e também físicos, sendo eles: angústia, irritabilidade, dificuldade de concentração, medo e preocupação excessiva, agitação, cansaço, tensão muscular, taquicardia, transpiração, dor de cabeça, falta de ar, aumento da pressão arterial, insônia, náuseas, vômitos e diarreia. A ansiedade é considerada uma doença quando causa sofrimento intenso e interfere negativamente em todas as áreas da vida do indivíduo. A ansiedade constante e crônica também pode desencadear ataques de pânico.

 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Fechar
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios